sábado, 24 de janeiro de 2015

O QUE AS CRIANÇAS QUEREM APRENDER



Excelente artigo que mostra alguns interesses e expectativas das crianças na aprendizagem.

As crianças não se contentam mais em saber que foi Pedro Álvares Cabral quem descobriu o Brasil. Curiosas e conectadas, elas querem saber como foi que ele descobriu, como eram feitas as embarcações, como era a vida dos marinheiros, se há lugares ainda por serem descobertos na Terra e no universo. As crianças querem aprender a programar jogos, fazer crochê, andar de skate, entender como funciona o ímã e saber como publicar um livro.

O que as crianças querem aprender raramente está nas apostilas do colégio. É na internet e em outros meios de comunicação que elas alimentam e saciam sua curiosidade pelo funcionamento do mundo e cabe à escola e aos pais acompanhar essa evolução do conhecimento, dando suporte ao aprendizado dos pequenos. O Centro de Referências em Educação Integral publicou uma série de citações que revelam o que crianças e adolescentes gostariam de aprender em 2015.

Com isso, fica clara a necessidade de atualizarmos os currículos da educação formal e alinharmos as possibilidades de conhecimento àquilo que os alunos têm interesse em aprender hoje. A escola não precisa ser uma atividade chata, como provam milhares de escolas inovadoras em todas as partes do mundo, incluindo o Brasil. Confira aqui 10 escolas em que você não iria querer cabular aula de jeito algum e veja abaixo as respostas das crianças:




INSCRIÇÕES NO PARFOR - PROGRAMA NACIONAL DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA ED. BÁSICA





De 20 de janeiro a 13 de março, professores da rede pública podem pleitear uma vaga em um dos cursos do Programa Nacional de Formação de Professores da Educação Básica, o Parfor.

O Parfor foi implementado pela Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – Capes, do MEC, com o objetivo de oferecer aos professores em exercício da rede pública de educação básica, formação superior em cursos gratuitos, na disciplina em que atuam em sala de aula.

Os professores devem se cadastrar e realizar a sua pré-inscrição na Plataforma Freire, pelo endereço
http://freire.capes.gov.br. É preciso estar cadastrado no Educacenso na função Docente ou Tradutor Intérprete de LIBRAS na rede pública de Educação Básica e ter sua pré-inscrição validada pela Secretaria da Educação.


O Parfor foi criado para que os professores em exercício da Educação Básica tenham acesso à formação superior exigida pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB).

Para acompanhar o calendário de atividades de 2015 do Programa e obter mais informações, 
clique aqui.

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

MAIS UM EXEMPLO DE BOAS PRÁTICAS NA EDUCAÇÃO



Escola pobre do Piauí tem 153 medalhas de matemática. Quer saber como?

THIAGO VARELLA

À primeira vista, parece que uma coisa não combina com a outra. Cocal dos Alves, cidade do interior do Piauí, está entre as 30 cidades com o pior IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) do país. De 0 a 1, o município tem índice 0,498, na posição 5.535, entre 5.565 cidades.
Ao mesmo tempo, Cocal dos Alves possui uma das mais premiadas escolas públicas do país, campeã em diversas olimpíadas do conhecimento e com inúmeras aprovações em vestibulares de universidades públicas do Piauí. A escola de ensino médio Augustinho Brandão foi considerada a instituição estadual com a maior média no Enem 2012 em todo o Estado -- o resultado do Enem 2013 por escola ainda não foi divulgado.
Como pode uma escola pública ter tantos casos de sucesso em olimpíadas e vestibulares em um local tão carente e desprovido de ajuda? Assim como tudo nesta história, a resposta é ao mesmo tempo simples e um tanto complexa. No caso da escola Augustinho Brandão bastou juntar um grupo de professores cheios de vontade de mudar uma cruel realidade social.
`São 12 anos de estrada. Em 2003, éramos um grupo de jovens professores que simplesmente começou a trabalhar de maneira séria`, explica a atual diretora da escola, Aurilene Vieira Brito.
Ao mesmo tempo que implantaram um trabalho intenso em sala de aula, eles foram atrás de qualificação e conhecimento para ensinar – e posteriormente cobrar – os alunos. Tudo isso, enquanto se viravam para lecionar em uma escola sem estrutura.
Em pouco tempo, os professores começaram a notar a diferença. É verdade que, com um ensino mais puxado, as cobranças também se intensificaram. No começo, alguns alunos chegaram até a cogitar desistir da escola, por causa da dificuldade. Mas, algo os motivou a continuar.
Dois anos depois da mudança de mentalidade e de metodologia, um dos professores decidiu inscrever alguns alunos da escola em uma competição de matemática, a Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep).
`Nossos alunos arrebentaram. A Obmep serviu como avaliação do nosso trabalho. Um termômetro que nos mostrou que estávamos no caminho certo`, afirma Aurilene.
O professor responsável pela aventura que acabou se tornando um dos maiores casos de sucesso de uma escola no país se chama Antonio Amaral. Quando conversou com a reportagem do UOL, ele estava no Rio de Janeiro, gravando um vídeo de resoluções da última prova da Obmep, a convite da organização da olimpíada.
`Todos os anos, conseguimos premiar quase todos os alunos que participam da Obmep. Mais do que menções honrosas e medalhas de bronze, que mostram que estamos entre as melhores escolas do Piauí, já conquistamos também várias medalhas de prata e ouro, o que prova que nossos estudantes conseguem competir com outros de escolas de todo o país`, disse Amaral.
Após o sucesso na OBMEP, com 153 premiações até o momento, a escola começou a inscrever seus estudantes em outras olimpíadas, e já obteve êxito em competições de química, física, robótica, entre outras.
Segundo Aurilene, toda esta dedicação dos professores e alunos é pouco recompensada pelo Estado. A preparação para as olimpíadas é feita `na raça`, depois do horário de aula, por professores que não recebem nem um centavo a mais para isso.
`Nós preparamos aulas extras nos finais de semana que antecedem as olimpíadas para treinar os alunos. Até o lanche que servimos sai do nosso bolso. Se tem resultado, é porque damos a cara a tapa. De cima para baixo, nada acontece`, desabafou.
Vestibular
Apesar do ótimo desempenho na Obmep, o maior motivo de orgulho da escola é o bom resultado em vestibulares.
Os vestibulandos da Augustinho Brandão têm entre 70 e 80% de aprovação. Em 2010, segundo a diretora, todos os alunos que prestaram vestibular passaram. Até hoje, três estudantes foram aprovados no curso de medicina. O sucesso é tanto que, em Teresina, capital do Estado, existe uma república de estudantes formada somente de ex-alunos do colégio de Cocal dos Alves.
São esses estudantes que saem para estudar na capital que incentivam quem está entrando agora a se dedicar no ensino médio. São eles, também, que estão começando a mudar o panorama de pobreza do município.
`O psicólogo e o fisioterapeuta da cidade são ex-alunos nossos. Esses profissionais viram exemplos para quem está agora na escola. Mesmo quem ainda não se formou, mas está em um curso de ponta, já é visto como alguém que mudou de vida na cidade. Alguém que ascendeu socialmente`, contou o professor Amaral.
Antigamente, o grande objetivo dos estudantes de Cocal dos Alves era se formar no ensino médio para tentar a vida no Rio de Janeiro. Agora, os jovens almejam ir para a capital do Estado se formar para, depois, retornarem à cidade natal em busca de melhorar a vida da população, contam os professores.
`Um de nossos orgulhos é um estudante que está no oitavo semestre de engenharia civil na UFPI [Universidade Federal do Piauí], em Teresina. Ele era um aluno bom, dedicado, mas extremamente carente. Só recentemente, sua casa recebeu luz elétrica graças a um programa do governo federal`, disse Amaral.


 Matéria publicada no Protal Uol Educação, 23 de Outubro de 2014.




A PÁGINA 
http://www.rededosaber.sp.gov.br/portais/efap/MuraldoEducador/tabid/4022/Default.aspx

E VEJA OUTRAS EXPERIÊNCIAS VITORIOSAS

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

BOLETIM INFORMATIVO


Compartilhamos a edição do "Nutrinformativo", elaborado pela equipe do DAAA - Departamento de Alimentação e Assistência ao Aluno.








quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

ENQUANTO ISSO NAS FÉRIAS DOS ALUNOS....

Conforme anunciado, este ano o Governo Estadual não repassou a verba, que anualmente era concedida através do Projeto "Trato na Escola" no valor de R$ 7.900,00, que seria destinado a melhorias, manutenções, troca e conserto de equipamentos, conservação do prédio, etc.

Então, Diretor, Vice-Diretora, Inspetores, funcionários de limpeza e secretaria estão trabalhando duro, além de suas funções habituais para que os alunos encontrem uma escola acolhedora e pronta para aprendizagem.

Especialmente este ano o trabalho cooperativo, de integração será de extrema importância.

Cortinas lavadas e trocadas, ventiladores consertados, cabos de projetores e de conexões trocados, remanejamento das salas de atividades, multiuso e atividades diversificadas, conferência dos livros didáticos e da sala de leitura, limpeza de todas as dependências da escola, acerto nas documentações de alunos e professores, matrículas e transferências, destinação de novos espaços para guarda de materiais, preparação para entrega dos livros e cadernos dos alunos, criação da galeria de fotos, manutenção em mesas e carteiras, plastificação de mesas da sala de atividades, registro e controle de materiais, UFA, além de muitas outras atividades.

Esperamos que na volta todos os alunos possam utilizar da melhor forma tudo isso e ajudar na preservação de nosso patrimônio.

Uacury. A nossa escola.






PROFESSORES COMPARECEM PARA A DEFINIÇÃO DAS SALAS

Hoje, a partir das oito horas da manhã, os professores efetivos da escola, comparecerem para definir sua carga horária e as salas que irão ministrar aulas ao longo do ano letivo.

No período da tarde as aulas livre foram encaminhadas para a Diretoria de Ensino para que Titulares de Cargo de outras escolas possam pegá-las.

Dia 26/01/15 é dia dos professores OFA, com sede em nossa escola, definirem suas aulas.
Depois é a vez dos professores candidatos a contratação.

Esperamos que o quadro esteja completo para o dia 02 de fevereiro quando começam as aulas

quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

CRONOGRAMA ATRIBUIÇÃO DE AULAS

Portaria CGRH-1, de 7-1-2015

Fixa datas e prazos para a divulgação da classificação dos inscritos e estabelece cronograma e diretrizes para o processo de atribuição de classes e aulas do ano letivo de 2015, nos termos da Resolução SE 75/2013, alterada pela Resolução SE 70, de 29-12-2014

A Coordenadora da Coordenadoria de Gestão de Recursos Humanos, considerando a necessidade de estabelecer datas, prazos e diretrizes para o desenvolvimento do processo de atribuição de classes e aulas do ano letivo de 2015, expede a presente Portaria:

Artigo 1º - Após a entrega de documentos e a atualização dos registros de que trata a Portaria CGRH nº 4, DOE 16/12/2014, darse- á a publicação da nova classificação dos docentes candidatos à contratação que estará disponível, em 15/01/2015, no endereço:
http://drhunet.edunet.sp.gov.br/PortalNet . Parágrafo único – O docente que se encontra na condição de aluno, caso participe do processo de atribuição de classe/aulas deverá comprovar matrícula e frequência no respectivo curso no momento da atribuição.

Artigo 2º - A atribuição de classes/anos iniciais do Ensino Fundamental, aulas dos anos finais do Ensino Fundamental e Médio e Educação Especial – SAPE com classes de educação especial exclusiva e aulas de sala de recurso, na Etapa I, a docentes habilitados de que trata o § 1º do artigo 7º e o artigo 8º da Resolução SE 75, de 28/11/2013, obedecerá ao seguinte cronograma:

I - dia 21-01-2015 - Fase 1- na Unidade Escolar, aos titulares de cargo, para:
a) Constituição de Jornada;
b) Composição de Jornada;
c) Ampliação de Jornada;
d) Carga Suplementar de Trabalho Docente.

II – dia 22-01-2015 – MANHÃ - Fase 2 - Diretoria de Ensino, aos titulares de cargo, não atendidos, parcial ou integralmente em nível de Unidade Escolar, para:
a) Constituição de Jornada, na seguinte ordem: 
a.1 - aos docentes não atendidos totalmente, na Fase 1;
a.2 - aos adidos em caráter obrigatório.
b) Composição de Jornada, na seguinte ordem:
b.1 - aos parcialmente atendidos na constituição;
b.2 - aos adidos, em caráter obrigatório.

III – dia 22-01-2015 – TARDE - Fase 2 - Diretoria de Ensino - aos titulares de cargo não atendidos na Unidade Escolar, para Carga Suplementar de Trabalho Docente.

IV – dia 23-01-2015 – MANHÃ - Fase 2 - Diretoria de Ensino, para:
a) Designação nos termos do artigo 22 da Lei Complementar 444/1985, aos titulares de cargo a.1 os docentes deverão apresentar classificação final disponível no GDAE, para comprovar as habilitações/qualificações.
Caso a classificação do docente não esteja contemplada com as disciplinas de sua habilitação, o mesmo não poderá ser atendido;
b) Atribuição para o Centro de Estudos de Educação de Jovens e Adultos – CEEJA, aos docentes que atuaram no Projeto em 2014, avaliados favoravelmente e devidamente inscritos para 2015;
c) Atribuição para o Centro de Estudos de Línguas – CEL, aos docentes que atuaram no Projeto em 2014, avaliados favoravelmente e devidamente inscritos para 2015;
d) Atribuição Sistema Prisional e Fundação Casa;
d.1 somente para recondução dos docentes que atuaram nos referidos Projetos em 2014, avaliados favoravelmente e devidamente inscritos para 2015;
e) Recondução PMEC, Escola da Família e Sala de Leitura;
e.1 somente para recondução do docente avaliado favoravelmente em 2014, na mesma unidade ou em outra unidade escolar, da mesma Diretoria de Ensino, devidamente inscritos para 2015.

Parágrafo Único - As Diretorias de Ensino deverão comunicar à Diretoria de Ensino/ unidade escolar de classificação do docente, que o mesmo foi atendido na atribuição para designação nos termos do artigo 22 da LC 444/85 e demais atribuições previstas no inciso IV.
Artigo 3º - A atribuição de classes/anos iniciais do Ensino Fundamental, aulas dos anos finais do Ensino Fundamental e Médio e Educação Especial – SAPE com classes de educação especial exclusiva e aulas de sala de recurso, na Etapa I, a docentes contratados e candidatos à contratação (remanescentes de concurso público) habilitados conforme trata o § 1º do artigo 7º e o artigo 8º da Resolução SE 75, de 28/11/2013, e será efetuada de acordo com o cronograma definido pela respectiva Diretoria de Ensino, com início em 26/01/2015, conforme sua especificidade, devendo ser amplamente divulgado e obedecendo à seguinte ordem:

I) Fase 1 – Unidade Escolar - de carga horária aos docentes ocupantes de função-atividade, na seguinte conformidade:
a) declarados estáveis nos termos da Constituição Federal de 1988;
c) ocupantes de função-atividade.

II) Fase 2 – Diretoria de Ensino - de carga horária aos docentes ocupantes de função-atividade, na seguinte conformidade:
a) declarados estáveis nos termos da Constituição Federal de 1988;
b) celetistas;
c) ocupantes de função-atividade.

III) Fase 2 – Diretoria de Ensino, para:
a) Atribuição da carga horária aos docentes contratados categoria “O” com contrato vigente 2015;
b) Atribuição da carga horária aos candidatos à contratação – remanescentes do Concurso Público PEB II 2014 (homologado DOE 31-01-2014).

IV - A atribuição de classes e aulas na Etapa II aos docentes e candidatos qualificados, em conformidade com o disposto nos §§ 6º e 7º do artigo 7º e no § 1º do artigo 8º da Resolução SE 75, de 28/11/2013 se processará na seguinte conformidade:

§ 1º – Unidade Escolar - Fase 1 – aos docentes da unidade escolar na seguinte ordem:
a) Efetivos;
b) Declarados estáveis pela Constituição Federal de 1988;
c) Celetistas;
d) Ocupantes de Função- Atividade;
e) Contratados – categoria “O”, já atendidos na Etapa I, com aulas atribuídas na respectiva unidade escolar;
f) Contratados – remanescentes do Concurso, já atendidos na Etapa I, com aulas atribuídas na respectiva unidade escolar.

§ 2º – Diretoria de Ensino - Fase 2 – observada a sequência:
a) Todos os docentes de que trata o inciso anterior, não atendida totalmente nas unidades escolares, observada a mesma ordem;
b) Candidatos à contratação.

§ 3º – Diretoria de Ensino - Fase 2 – atribuição para Projetos da Pasta, observado o disposto no inciso IV do artigo 2º desta Portaria.

Artigo 4º - No caso de alguma das datas previstas nos incisos I a IV do artigo 2º desta resolução recair em feriado no municípiosede da Diretoria de Ensino, o evento poderá ser adequado, desde que seja amplamente divulgado.

Artigo 5º - A partir de 29/01/2015, as Diretorias de Ensino poderão proceder à atribuição de classe/aulas nos termos do artigo 21 da Resolução SE 75, de 28/11/2013, aos docentes cadastrados no período de inscrição para atribuição de classes e aulas.
Parágrafo Único – Decorridas todas as fases previstas, as Diretorias Regionais de Ensino que comprovadamente ainda apresentarem déficit de docentes habilitados/ qualificados, poderão, a partir de 02/02/2015, abrir período de cadastramento emergencial, nos termos da Resolução SE 23/2012.

Artigo 6º - Caso não conste no Sistema a Qualificação necessária para as aulas pretendidas, a atribuição das aulas somente poderá ocorrer posteriormente à atualização do sistema de formação curricular, após nova classificação e atualização do sistema de atribuição on line.

Artigo 7º - As turmas de ACDs que, ao final do ano letivo, estiverem funcionando com regularidade, nas modalidades e gênero existentes, tendo sido mantidas pelo Conselho de Escola, serão atribuídas no mês de março do ano subsequente, depois de esgotadas as aulas regulares de Educação Física, no processo inicial de atribuição de classes e aulas.

Artigo 8º - As aulas do Projeto Apoio à Aprendizagem – PAA serão atribuídas após o processo inicial de atribuição de classe/ aulas, em período a ser divulgado pela CGRH.

Artigo 9º - As aulas do Professor Auxiliar – PA serão atribuídas após a avaliação do 1º bimestre, quando constatada a necessidade de recuperação.

Artigo 10 - As aulas de LEM – Inglês, "Early Bird" somente poderão ser atribuídas nas escolas elencadas na Resolução SE 29/2014.

Artigo 11 - A atribuição de classe/ aulas deverá ser realizada pelas unidades escolares/ Diretorias de Ensino de maneira tradicional, já utilizada usualmente. A inclusão da atribuição no sistema on-line será realizada mediante orientação a ser encaminhada em momento oportuno pela CGRH/ CIMA.

Artigo 12 - Esta Portaria entrará em vigor na data de sua publicação, ficando revogadas as disposições em contrário.